terça-feira, 20 de julho de 2010

Guigo Amaral lança CD no Almanaque Café

Guigo Amaral, mentor da Banda Luage, a atração musical de maior sucesso no antigo Almanaque Bar, na década de 90, lança no próximo sábado, dia 24 de julho, a partir das 22h00, seu primeiro CD “IDENTIDADE”, com show no novo Almanaque Bar, em Barão Geraldo. Para o lançamento do CD Identidades, Guigo convocou sua antiga banda e com ela, além de canções do CD, apresenta repertório  de MPB, com muito Ben Jor, Seu Jorge, Paralamas e sucessos internacionais como Stand by me e Listen to the music.

"Dizer que a música e o violão são paixões seria pouco. Paixões passam, acabam!!! Talvez um casamento perfeito, que já dura quase 20 anos! Mais que um casamento, uma integração! Estamos falando de GUIGO AMARAL, violonista, cantor e compositor, brasiliense de nascimento, mas campineiro por adoção. Aos 12 começou a tocar violão e, desde então, não parou mais. A partir daí, sua vida voltou-se totalmente para a música.

Fez parte de várias bandas de garagem e iniciou, efetivamente, sua carreira musical em 1990 apresentando-se em bares da cidade de Campinas-SP.

Venceu o Festival XX FICO, com a música “Um lugar chamado Terra”, composta por Patrícia Aranha com sua parceria no arranjo musical
Em 1992 vem a união com sua irmã Maira Camargo e a criação da Banda Luauge, com quem tocou durante 11 anos, até 2003.

Com repertório muito eclético, que parte da MPB e Bossa Nova, vai do reggae ao forró passando pelo pop/rock nacional e internacional, cativa o público por onde passa.

Mas Guigo queria mais. Para fazer decolar sua carreira artística em 2003 resolveu dar seu grande passo, mudando-se para o Rio de Janeiro em busca de novas parcerias de composição e contatos com produtores, empresários e gravadoras para a concretização de seu trabalho.

Apesar da pouca idade, Guigo já tem uma história sólida.
E como todo músico que se preza, o sonho maior é, sem dúvida, o reconhecimento profissional e, para isso o primeiro passo foi a gravação de seu primeiro CD “IDENTIDADE”, que está sendo lançado este ano.

Com músicas de sua autoria, ou em parceria com sua irmã Maira Camargo e outros compositores o CD tem a produção assinada por Bruno Coppini, com excelente resultado técnico e grande qualidade musical.

Outros trabalhos correm paralelamente, como produções teatrais, shows de divulgação e, naturalmente, shows de lançamento do CD, onde incluirá, além das obras gravadas, outras canções de compositores já consagrados, porém, com novos arranjos de sua autoria.

Em junho deste ano, foi a vez do público de Campinas conferir o resultado desta produção.
Guigo fez um show, no teatro interno do Centro de Convivência Cultural, com a participação de grandes músicos que fizeram e fazem parte de sua história artística.

Na direção musical e no baixo esteve o parceiro Bruno Coppini, na bateria Ramon Montagner, percussão o “irmão” Lazinho Batuck, no teclado Thiago Santana, guitarra Julio Caliman, saxofone Manu Falleiros, trumpete Gê Ribeiro.

O show teve ainda participação especial de sua irmã e parceira Maira Mangustin, que também assina a produção técnica.
Além da irmã, houve algumas outras participações especiais, como seu filho Cauê Camargo e seu também parceiro carioca Mario Andrade.

Vontade e talento não faltam para Guigo. Agora é só apostar na certa aceitação do público e torcer por sua consagração!"


por Bernadete Faria

Serviço
Show no Almanaque Café

GUIGO AMARAL E BANDA LUAUGE
SÁBADO, 24 DE JULHO,  22:00H
COUVERT ARTÍSTICO R$ 12,00

ALMANAQUE CAFÉ
Av. Albino José Barbosa de Oliveira 1240  - Barão Geraldo – Campinas SP
Telefone: 19 32490014
 www.almanaquecafe.com.br   
twitter/almanaquecafe

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Restaurante Le Chef abre nova edição do projeto social Cozinha da Alma


Iniciativa constitui a oferta de curso gratuito de culinária básica, dirigido a diversos segmentos da população

O restaurante Le Chef, casa com seis anos de sucesso em Campinas, está abrindo inscrições para mais uma edição do seu projeto social denominado Cozinha da Alma, dirigido a diversos segmentos da população. A iniciativa é constituída por um curso básico de culinária, cuja proposta é ensinar aos participantes, em apenas quatro horas, o preparo de molhos quentes e frios que constituem a essência de dezenas de pratos, dos mais simples aos mais sofisticados. “Vamos abrir a caixa preta e revelar todas as técnicas, processos e macetes”, afirma Graça Alfaia, chef, administradora do bistrô e professora do curso. Segundo ela, qualquer pessoa pode participar das aulas. “Nas duas primeiras edições, nós tivemos grupos da terceira idade, trabalhadores domésticos, portadores de Síndrome de Down, empresários, profissionais liberais e donas de casa. Desta vez, queremos ampliar ainda mais essa diversidade. Esperamos receber, entre outros, homens e mulheres cardíacos interessados em preparar refeições mais saudáveis”, acrescenta. O curso é gratuito.

A primeira turma terá aula no próximo dia 26 de julho, segunda-feira, entre 14h e 18h. As inscrições poderão ser feitas até o dia 24, por telefone. Graça dividiu o curso em três partes. Na primeira, ela explica aos alunos os objetivos e passos da aula e transmite noções de organização, higiene, limpeza e segurança. Em seguida, ensina os alunos a fazer molhos quentes à base de peixe, frango e carne, que servirão para o preparo de inúmeros pratos (grelhados, assados, risotos, massas etc). Por fim, os alunos aprendem a elaborar molhos frios, que incrementarão principalmente saladas. Pelo menos 80% da abordagem é prática.

Serviço
Projeto Cozinha da Alma
Idealização: Restaurante Le Chef
Professora: Graça Alfaia
Data da primeira turma: 26 de julho
Duração de cada curso: quatro horas
Período em que o curso será ministrado: até dezembro, com aulas a cada 15 dias, às segundas-feiras
Inscrições para a primeira turma: até 24 de julho
Contato: (19) 9200-7708

sexta-feira, 16 de julho de 2010

A PORTA FAZ ESTREIA NACIONAL NO SESC, EM CAMPINAS, NO DIA 18, DOMINGO


Espetáculo livremente inspirado na obra de Franz Kafka, enfatizando os aspectos oníricos de sua criação, A Porta, da Cia Troada, faz sua estreia nacional na abertura da SESC Temporada de Teatro, em Campinas, no dia 18 de julho, domingo, às 18h. Concebido e dirigido por Vinicius Torres Machado, o espetáculo foi produzido com o apoio do Prêmio Funarte Myriam Muniz de Teatro. A Cia Troada é integrada por artistas formados pela USP e Unicamp, que pesquisam a linguagem da máscara desde 1999, em seus mais diversos trabalhos.

Durante a peça, todos os atores utilizam máscaras inteiras, sem fala, com traços caricaturescos da figura humana. As máscaras do espetáculo, confeccionadas por Elisa Rossin, atriz e mascareira da Cia., são inspiradas na estética da Familie Flöz, referência alemã do teatro de máscaras mundial. Os figurinos foram criados por Elisa Rossin e Eliseu Weide, que trabalha com importantes produções européias de ópera e teatro, incluindo as companhias alemãs Berliner Ensemble e Cia Familie Flöz, de Berlim.

O espetáculo, que conta a história de uma noite de insônia de Gregor, perpassada por pesadelos, apresenta a comicidade da máscara em visita ao universo kafkiano. Nesse encontro, nasce um tipo de humor que tira sua força do sem sentido, do “nonsense”, da brincadeira com o absurdo. A porta do quarto de Gregor se transforma em uma passagem pela qual poderá voltar à realidade. O elenco é formado pelos atores Ana Caldas Lewinsohn, Beto Souza e Elisa Rossin.

O SESC fica no bairro Bonfim, na rua Rua Dom José I, 270/333.
Os ingressos custam de R$ 2,00 a R$ 8,00.
telefone: 19 3737-1500, e-mail: email@campinas.sescsp.org.br

Fotos: Marcelo Kahn
Fonte: Ascom Unicamp

Avenida Albino J.B. Oliveira será interditada no domingo

A Avenida Albino José Barbosa de Oliveira, no distrito de Barão Geraldo, será bloqueada na altura do número 1.164, neste domingo, dia 18 de julho.
  
O trecho do fechamento fica entre a Avenida Santa Izabel e Rua Cecília Peres Zogbi. Durante a  interdição, a Sanasa executará serviços na rede de esgoto.

Os motoristas que circulam por essa via deverão, no domingo, utilizar como desvio as ruas Maria Luiza Buratto e Alcides de Barros. Agentes da Mobilidade Urbana acompanharão os trabalhos para ampliar a segurança e monitorar o trânsito.

Fonte: Prefeitura de Campinas

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Projetos de futuro marcam os 110 anos da Ponte Preta


Primeiro time de futebol do Brasil projeta novo Centro de Treinamento e Arena de eventos

A Associação Atlética Ponte  Preta, primeiro clube do Brasil, fundado em 11 de agosto de 1900, comemora 110 anos de existência com projetos de crescimento na infra estrutura e desempenho esportivo. No final do ano inicia a construção do novo Centro de Treinamento (Centro de Formação de Atletas – CFA) em área de 80 mil metros quadrados às margens da Bandeirantes, um estádio com arena de eventos no Jardim Eulina, além de conquistar a classificação para a Série A do Campeonato Brasileiro.

Para garantir esses objetivos conta com apoio de novo patrocinador, o Atacadão Guarujá, que tem sua marca nas mangas do uniforme, parceiros para a Arena Ponte Preta – Red Bull e Traffic – e incentivos da Confederação Brasileira de Futebol e do Ministério dos Esportes. O projeto da Arena  contempla um estádio multiuso, padrão FIFA, com capacidade para 30 mil torcedores, com assentos  cobertos.

Segundo o presidente da Ponte, Sérgio Carnielli, o novo estádio vai proporcionar conforto e segurança para os usuários. “O Moisés Lucarelli já está com a estrutura precária e não oferece conforto, estacionamento e segurança satisfatórios. O novo estádio garantirá muito melhores condições”, destacou. O Majestoso será vendido para custear parte das obras do novo. Os recursos para construção do Centro de Treinamento virão de doação de empresas.

Márcio Della Volpe, diretor de Marketing alvinegro, anunciou a programação de festividades dos 110 anos, com destaque para a inauguração do museu no Majestoso e a festa da torcida Camisa10, além de apresentar o novo patrocinador durante coletiva realizada ontem na unidade Paineiras do clube.

Leia reportagem completa na próxima edição do Jornal de Barão

terça-feira, 13 de julho de 2010

Exposição abre novo espaço para artes visuais na Unicamp


Uma exposição que reúne obras dos artistas plásticos Miriam e Bjarne Norking acaba de abrir mais um espaço de artes visuais na Unicamp, nas dependências da Biblioteca Central Cesar Lattes (BC-CL). A iniciativa é da Coordenadoria de Desenvolvimento Cultural (CDC), órgão da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (Preac), em parceria com a própria BC-CL. A mostra, que pode ser visitada até o dia 30 de julho, no primeiro piso, é composta por uma coletânea de peças publicitárias que concorreram a diversos prêmios internacionais e por pinturas em couro e objetos tridimensionais elaborados a partir de sucatas.

O conjunto de obras de Miriam Norking, a Mirona, é constituído pelas pinturas em couro e por peças produzidas com sucatas. A artista, que tem obras em diversos catálogos e integra o Grupo Antropoantro, também faz esculturas e trabalhos em bico de pena. Já Bjarne Norking apresenta pinturas e pôsteres que participaram de vários festivais internacionais, entre eles o London International Advertising Awards, Nova York e o Ibero Americano de Publicidade. Os trabalhos têm uma forte inspiração nos veleiros dinamarqueses, tradição que o artista herdou dos antepassados. As embarcações são desenhadas por Bjarne e as velas pintadas por Mirona. As obras em acrílica serão reproduzidas num calendário a ser editado na Dinamarca.

A exposição, segundo Sônia Maria de Camargo Mazzariol, relações públicas da CDC, está inserida no calendário de atividades da coordenadoria, que prevê para o segundo semestre mostras de trabalhos de artistas importantes como Fúlvia Gonçalves, Maria Helena Mota Paes, do grupo Bernardo Caro, e Consuelo Debiaggi, com a exposição “Eu Encáustica, série Dourada”, sob curadoria de Afrânio Montemurro. O projeto está orientado na linha da memória e tem o objetivo de valorizar os artistas antigos e novos, suas produções contemporâneas e resgatar obras representativas dessa trajetória.

Eni Ilis - Outra exposição que integra a iniciativa da CDC é a intitulada “Possibilidades da Linha”, que pode ser visitada até o final de julho no Espaço de Arte da própria Coordenadoria. Quem assina as obras da mostra é a artista plástica Eni Ilis. Sobre as peças apresentadas ao público, o professor Regis de Morais fez o seguinte depoimento: “Ora seus trabalhos amam a superfície, o espaço desenhável em que linhas e riscos tecem emoções, ora certa tridimensionalidade a cativa, originando formas volumétricas.  No entanto, em tudo há movimento, seja brincando de infância ou lacrimejando gesticulações humano-arbóricas.  Tudo é a mesma magia que tece fios de risos e súplicas, a mesma que escreve poema sobre massas coloridas”.

Fonte: Antonio Scarpinetti - Ascom Unicamp

terça-feira, 6 de julho de 2010

MANIFESTO DE REPÚDIO

A comunidade do Distrito de Barão Geraldo, vem a público, manifestar o seu repúdio pela forma ambígua, superficial e arrogante com que o senhor Secretário de Planejamento Municipal vem conduzindo os trabalhos relativos à revisão do Plano Local de Gestão da Macrozona 3.

As três reuniões realizadas até o presente, tinham como principal objetivo discutir com a população o Plano Local de Gestão para a nossa região, eis que o PLG é o detalhamento dos objetivos, diretrizes e normas definidos no Plano Diretor do município para cada macrozona da cidade. Tendo entre as suas finalidades adequar os parâmetros de parcelamento, uso e ocupação do solo às condições ambientais, urbanísticas e socioeconômicas; detalhar as políticas setoriais; definir as diretrizes viárias, de preservação e recuperação ambiental.

Também deve definir estratégias para intervenção imediata na área, estabelecendo de forma clara os princípios a serem adotados, assim como prever e direcionar a execução de planos e projetos de mais longo prazo, para o atendimento dos objetivos pactuados com a sociedade, tendo em vista que o PLG tem a obrigatoriedade de ser Participativo, ou seja, de incorporar no texto as propostas e contribuições da sociedade civil, fazendo com que a propriedade urbana cumpra sua função social e que a cidade seja acessível e justa ao conjunto de seus habitantes.

Entretanto, o que assistimos foi um grande descaso da administração pública municipal com os cidadãos que compareceram a estas reuniões. O que nos foi apresentado consiste em diretrizes genéricas sem que os parâmetros para a sua elaboração estivessem bem definidos e sequer os dados estivessem atualizados. Nenhum cronograma foi apresentado, muito menos o esboço de qualquer proposta, quando já é de conhecimento público, que inúmeros mega projetos imobiliários estão para acontecer nesta região e no seu entorno.

Ficou claro também que a prefeitura não dispõe nem de infra-estrutura, nem equipe para fazer as reformulações que seriam necessárias, e a que a mesma está fazendo as reuniões meramente para constar que foram realizadas. Isto porque, o Secretário garantiu que o PLG estará pronto até dezembro deste ano. Isto não pode ser considerado um trabalho sério, ou então, o mesmo já está pronto e deverá apenas adequar as regras para facilitar a instalação dos empreendimentos que já estão decididos, em total desrespeito aos objetivos de elaboração de um Plano Local de Gestão.

Para além de uma proposta técnica, um PLG é fruto também de debate político, onde as opiniões de todos podem e devem ser auscultadas. Assim, gostaríamos de ter mais consideração e respeito por parte do Poder Administrativo Municipal. Está comunidade não está aqui para fazer o papel de mero carimbador de decisões tomadas entre quatro paredes e que vão contra os interesses da população.

Dito isto, assistimos com muita aflição ao que se descortina. Vamos lutar para que o desfecho possa ser diferente do que o cenário está a nos apontar, e que com o encaminhamento das discussões futuras, ainda haja espaço para um verdadeiro debate e respeito a uma comunidade cujo histórico de luta é antigo e cujo papel social e zelo pelo interesse público é inegável.

Aproveitamos a ocasião para reivindicar outros elementos que consideramos, coletivamente, fundamentais para o melhor desenvolvimento dos trabalhos, são eles:

- Constituição de equipe técnica, possuidora de perfil multidisciplinar, que deve saber ouvir e discutir idéias para o município, respeitando a legitimidade dos atores sociais, e buscando subsídios para elaboração de propostas que devem ir ao encontro da vontade dos cidadãos de Campinas.

- Construção de uma metodologia de trabalho e atualização dos dados e informações.

- Ampla divulgação e publicidade do Calendário de Reuniões Públicas.

- Criação de Comissão de Trabalho composta por representantes das várias Secretarias da Prefeitura, técnicos da Seplan, especialistas da PUCCAMP, UNICAMP e outros Institutos de Pesquisas e Universidades, e membros indicados por esta comunidade, que elaborarão o documento-base para a revisão do PLG. Sendo certo que para essa elaboração, se levará em consideração o diagnóstico detalhado da região a ser efetuado em conjunto com a comunidade.

- Efetivo atendimento ao princípio constitucional da participação popular na implementação da gestão da cidade, tendo em vista que o regime democrático está em vigência no país.

Vamos continuar mobilizados, pois o Plano Local de Gestão Participativo constitui um instrumento importante para enfrentar, com êxito, o maior desafio que temos: A CONSTRUÇÃO DE UMA CIDADE PARA TODOS.

Associação de Moradores da Cidade Universitária II – PROBAIRRO
Associação de Moradores da Cidade Universitária – AMOC
Associação de Moradores do Guará – AMAGUARÁ
Associação de Moradores do Bosque das Palmeiras - PROBOSQUE
Associação de Moradores do Vale das Garças
Associação de Moradores do Real Parque
Associação de Moradores do Recanto dos Pássaros
SOS Mata Santa Genebra – Mobilização da Sociedade
PROESP – Associação de Proteção da Diversidade das Espécies
Instituto Cultural Voz Ativa
Demais cidadãos presentes constantes da lista de presença

Este Manifesto foi aprovado em Reunião Aberta realizada na quarta-feira, 30 de junho de 2010, às 19:30hs, na sede da PROBAIRRO.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Natal é tudo de bom

Natal é a capital de um dos menores estados em território do Brasil, mas para o povo potiguar (que na língua tupi-guarani significa “comedor de camarão”), lá tudo é grande: é o maior produtor de sal marinho, responsável por 97% do produto consumido no Brasil; tem o maior cajueiro do mundo, registrado no livro dos recordes; é o maior produtor de petróleo em terra do País; o maior exportador de frutas tropicais; tem o litoral com maior projeção para o Atlântico; e o maior escritor em quantidade e qualidade, Luís da Câmara Cascudo.

Fica na 'esquina do Brasil' e tem também, ainda segundo os potiguares, as mais belas praias, reconhecidas internacionalmente. “É pôca mudéstchia não!”, exclamam os hospitaleiros natalenses, orgulhosos das belezas naturais de seu estado e da capital, que leva esse nome por ter sido inaugurada em 25 de dezembro de 1599 e também porque exatamente dois anos antes uma esquadra portuguesa entrava na barra do rio Potenji (“Rio dos Camarões”) para construir o forte dos Reis Magos, colonizar e proteger a região da invasão dos piratas franceses traficantes de pau-brasil.

Embora informações históricas sejam importantes, não é bem atrás de livros, monumentos e da bela arquitetura colonial que milhares de turistas viajam para Natal todos os anos, lotando as centenas de hotéis, pousadas, vôos e programação das agências de turismo. São os passeios e aventuras em suas belas praias, a paisagem paradisíaca, o calor aconchegante sempre aliviado pelos constantes ventos, a saborosa gastronomia e a hospitalidade afetuosa do povo.

Com quatro estações bem definidas durante o ano todo: Verão, Calor, Quentura e Mormaço, Natal é o ponto de partida para dezenas de passeios surpreendentes em qualquer época: dunas, praias, piscinas naturais, aventuras radicais e festas populares, sempre acompanhadas pelo ritmo “talentoso” dos potiguares. “Tenha pressa não porque aqui sempre tá lento”, dizem os guias, com a peculiar linguagem que nega depois da afirmativa. 

Leia reportagem completa na próxima edição do Jornal de Barão

terça-feira, 22 de junho de 2010

Atores-mirins encenam no LUME obra de Guimarães Rosa

Nesta sexta-feira, dia 25/6, às 20h, o Ponto de Cultura LUME recebe um grupo formado por atores-mirins – Núcleo de Vivência Teatral –, da cidade de Iracemápolis, atuando como gente grande na adaptação para o teatro de "A Hora e Vez de Augusto Matraga", de Guimarães Rosa! Depois de se aventurar pelas páginas de Machado de Assis, L. Frank Baum e William Shakespeare, chegou a vez dos pequenos atores do Núcleo de Vivência Teatral abrirem as porteiras do sertão e mergulharem fundo no universo de Guimarães Rosa.
O grupo de atores-mirins dirigido por Daniel Martins tem chamado a atenção nos últimos anos pela proposta ousada de realizar adaptações de grandes clássicos da literatura com crianças e adolescentes.

Nunca se viu o sertão rosiano retratado com tanta responsabilidade sobre os palcos. A atuação das crianças é assombrosa! Um dos grandes momentos do teatro brasileiro em 2009!

SERVIÇO:

Dia 25/6 (sexta-feira), 20h
A HORA E VEZ DE AUGUSTO MATRAGA – Núcleo de Vivência Teatral     Temporada 2010
Ponto de Cultura LUME Teatro (Rua Carlos Diniz Leitão, 150, Vila Santa Isabel, Barão Geraldo, 3289-9869)
Classificação etária: 9 anos
Duração: 90 minutos
Ingressos: R$ 10,00 e R$ 5,00
Informações: (19) 3289-9869 (LUME Teatro)

A Prefeitura não quer debater a Lei, quer impor mudanças


A cidade de Campinas foi dividida (2006) em 9 macrozonas -MZ* e cada uma delas deve seguir um Plano de Gestão Urbana - PGU.

PGU? Por que devemos nos importar com ele?

O Plano de Gestão é o instrumento que define as regras para a ocupação do território, o zoneamento e, dessa maneira, orienta o crescimento da cidade; o tipo de ocupação dos espaços públicos e privados; onde poderá ocorrer o adensamento populacional e até que ponto este será permitido; se haverá ou não a verticalização; quais as áreas verdes que deverão ser preservadas, entre outros aspectos muito importantes que afetam o cotidiano dos habitantes.

No distrito de Barão Geraldo o planejamento, ocupação e crescimento são definidos pelo Plano Local de Gestão Urbana - PLGU BG - Lei 9.199 de 1996** que foi elaborado com ampla participação da comunidade. Mas infelizmente o que de fato aconteceu no distrito desde então foi o descumprimento do PLGU, agravando progressivamente os problemas que já existiam em 1996 e que até hoje não foram sanados pelo poder público municipal, como o trânsito, as construções irregulares, entre outras mazelas locais. A negligência com o PLGU estimulou o aparecimento de novos problemas como as grandes enchentes, o aumento populacional que gerou sobrecarga em todas as áreas vitais do distrito, além da maior vulnerabilidade das áreas verdes restantes, entre elas a Mata de Santa Genebra.

Neste momento, novamente discutiremos o futuro de Barão Geraldo. É hora de decidirmos o tipo de lugar no qual queremos viver, decidirmos em qual cidade desejamos morar, criar nossos filhos, trabalhar etc. É a hora de conhecermos e deliberarmos sobre os novos empreendimentos anunciados pela atual prefeitura que afetam diretamente o futuro de Barão Geraldo: Parque Ciatec II e Ceasa, entre outros. Quantos novos moradores virão para cá? E para onde irá o lixo uma vez que o Delta está saturado? Como a Mata de Santa Genebra sobreviverá ao adensamento populacional em seu entorno?

O futuro de Barão Geraldo, de Campinas e Região é responsabilidade de todos nós!

Por isso várias entidades estão mobilizadas para que a população participe, opine, comparecendo massivamente às reuniões!

Atenção ao calendário! Programe-se:
CRONOGRAMA DA SEPLAN
23 de junho (quarta-feira) – às 19h
Salão Paroquial Santa Isabel
Rua Ângelo Vicentin, 601
Bairros: Centro e Vila Isabel

24 de junho (quinta-feira) – às 19h
Associação PROBAIRRO
Rua Márcia Mendes, 702 - Cidade Universitária, parte II
Bairros: Cidade Universitária e Guará

28 de junho (segunda-feira) – às 19h
Fundação José Pedro de Oliveira (Mata de Santa Genebra)
Rua Mata Atlântica, 447 - Bosque de Barão
Bairro: Real Parque

AMOC
Associação dos Moradores e/ou Proprietários de Residências Unifamiliares da Cidade Universitária Campineira

Comentário
Dalmace Capell Neto disse...


Do lado de cá do rio Atibaia (Valinhos), estamos com o mesmo problema com as autoridades. O prefeito querer transformar a Serra dos Cocais em área urbana. Veja mais detalhes no www.serradoscocais.blogspot.com

abraços

24 de junho de 2010 07:57

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Grupo Primavera celebra 30 anos com espetáculo de teatro e dança em defesa ao Meio Ambiente

Montagem levará  107 meninas ao palco do Centro de Convivência em Campinas nesta sexta-feira, dia 25 de junho, às 19h; adaptação literária “O Caso dos Pirilampos” valoriza figuras folclóricas brasileiras para falar de preservação da natureza e amizade 

O Grupo Primavera leva ao palco do Centro de Convivência de Campinas 107 alunas para apresentar um espetáculo de teatro, dança e música que celebrará os 30 anos da organização-não governamental e defenderá a preservação da natureza. A peça “O Caso dos Pirilampos” será encenada nesta sexta-feira, dia 25 de junho, às 19h, no Centro de Convivência Cultural em Campinas. Os ingressos devem ser adquiridos, gratuitamente, por telefone, com o Grupo Primavera. O espetáculo marca a Florada 2010, evento anual do Grupo Primavera. O tema da peça é a responsabilidade com o planeta Terra e o Meio Ambiente. 

O espetáculo integra o projeto Arte Teatral do Grupo Primavera e conta com apoio da Lei Rouanet. A narrativa folclórica é uma adaptação teatral da obra literária infanto-juvenil de Stella Leonardos. “O objetivo é resgatar a cultura folclórica e chamar a atenção das pessoas para o cuidado com o meio ambiente, a preservação das florestas, dos animais e a consciência com o gasto excessivo da água e com o consumo de energia”, explica Sandra Zuliani, diretora artística do Grupo Primavera.

De acordo com Sandra, responsável pela adaptação teatral, a peça fala de amizade.

Iara, a rainha das águas cantantes, num belo dia resolve se casar. Alguns pretendentes se apresentam, mas ela se apaixona pelo Sol. E ele se sente honrado. Toda a floresta se enfeita para o casamento deles, mas o que ninguém espera é que o danado do Saci-Pererê, interessado em Iara, resolve aprontar uma de suas traquinagens pondo quase tudo a perder. E é com a ajuda de seus amigos que Iara se livra dessa armadilha e se casa com o Sol. O Saci ganha uma chance de se desculpar e com a ajuda dos Pirilampos encontra a linda Caipora e se casa com ela. O Bem-te-vi aparece como o guardião da floresta e os pirilampos (vaga-lumes) como os narradores. A peça tem 1 hora e 05 minutos de duração.

30 anos
O Grupo Primavera comemora seus 30 anos de existência em 2010. A organização não-governamental atende mais de 480 adolescentes da região do São Marcos, periferia de Campinas. Com o foco na construção das Mulheres do Amanhã, a instituição realiza programas educacionais e culturais que desenvolvem valores humanos e o potencial criativo de jovens, principalmente de meninas, que transformam suas vidas e passam a ter um futuro com mais oportunidades.


Serviço:
Teatro
Florada do Grupo Primavera - O Caso dos Pirilampos
Data: sexta, 25 de junho.
Horário: 19 horas.
Onde: Centro de Convivência Cultural
Endereço: Praça Imprensa Fluminense, s/n, Cambuí – Campinas/SP
Ingressos: somente pelo telefone 3246-0021 (Grupo Primavera), com Bruna

Estação Guanabara recebe III Dia da Integração e Cidadania da Unicamp


Universidade oferece no dia 26 de junho, serviços e atrações culturais gratuitas para a comunidade
 O Grupo Gestor de Benefícios Sociais da Unicamp realiza no dia 26 de junho (sábado), a partir das 9h, na Estação Guanabara, a terceira edição do Dia da Integração e Cidadania. Esse é o momento de reunir a família para participar de atividades e serviços gratuitos (confira lista abaixo).

O principal objetivo do evento é oferecer, por meio de parcerias, atividades relacionadas à saúde, bem-estar e qualidade de vida, como um momento de integração entre funcionários, familiares e a comunidade campineira.


Além dos serviços, o Dia da Cidadania terá apresentações culturais, corte de cabelo e atividades de recreação para as crianças, como balão pula-pula.


O Grupo Bate-Lata já está com presença confirmada. Com instrumentos feitos a partir de sucata, canos de PVC e latas, o som do grupo inclui samba de roda, maracatu, funk, rap, reggae e MPB. Outra atração é a banda Os Robertones, que apresenta canções de Roberto Carlos em diferentes ritmos e com roupagem diferente; além da Cia Eclipse de Dança, que fará demonstrações de Street Dance.


A Oficina de Pipas Olivieri, apresentada no III Simtec - Simpósio de Profissionais da Unicamp, também fará parte do evento.


Edison Cardoso Lins, coordenador do Grupo Gestor, ressalta que a troca de serviços beneficiará tanto a comunidade universitária quanto a externa. “É uma grande parceria entre a Unicamp e a sociedade que abre espaço, ainda em dimensão inicial, para o desenvolvimento e a prática do voluntariado, compreendido na concepção da Organização das Nações Unidas (ONU)”.


Confira os serviços oferecidos durante o Dia da Cidadania:


Poupatempo: oferecerá a emissão da 1ª via do RG para menores de 16 anos e Carteira de Trabalho

OAB – Ordem dos advogados do Brasil: irá disponibilizar profissionais que farão orientação jurídica gratuita aos interessados
SESI: participação do Programa Alimente-se Bem, Oficinas de Artesanato, Argila e Jogos Recreativos (dama, xadrez, dominó)
Hemocentro/Unicamp: orientação sobre doação de sangue
Cecom/Unicamp: realizará a Feira de Saúde, onde profissionais da área irão atender e orientar sobre a prevenção de algumas doenças, teste para medir taxas de glicemia, acuidade visual, orientação sobre saúde bucal, etc.
CAISM/Unicamp: a equipe de profissionais irá orientar sobre pré-natal para adolescentes, auto-exame de mamas, entre outros
FEF – Faculdade de Educação Física/Unicamp: irá proporcionar aos participantes atividades de esportes e lazer demonstrando, de forma lúdica, os benefícios da atividade física

Informações:

Dia: 26/06/2010 – Sábado
Horário: 9h às 16h30
Local: Estação Guanabara – Rua Mário Siqueira, 829 – Jd. Guanabara (em frente à Praça Mauá e Unimed)
Público alvo: Aberto a comunidade
Investimento: Gratuito

domingo, 20 de junho de 2010

Carta Aberta aos Habitantes do Brasil – Em Defesa da Integridade da Legislação Ambiental Brasileira


Senhores e Senhoras membros do Congresso Nacional do Brasil,

O Relatório apresentado à Comissão Especial do Congresso Nacional sobre o Código Florestal na quarta-feira, dia 9 de junho, pelo Deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) apresenta propostas de mudanças na legislação que ultrapassam - e muito - os limites dos temas que deveriam ser objeto de análise por parte desta Comissão e colocam em risco não apenas os ambientes naturais do País, mas também os princípios e institutos que norteiam a moderna legislação brasileira.

Foi o Código Florestal Brasileiro que consolidou, em 1965, o princípio de que as florestas são bens de interesse comum e que o direito à propriedade se submete a este interesse. Esse princípio permeia toda a legislação ambiental brasileira e encontra abrigo no artigo 225 da Constituição Brasileira que estabelece que “todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo.” Ainda mais, impõe ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.

Os ambientes naturais são bens de interesse comum porque asseguram a sociedade como um todo o que é essencial para que os seres vivos, inclusive os seres humanos, continuarem vivos, como disponibilidade de água potável, ar purificado e purificável, nutrientes do solo para produção de alimentos, controle de pragas e doenças, equilíbrio do clima, decomposição de dejetos industriais e agrícolas, polinização.

Vale notar que muitos desses bens essenciais dizem respeito exatamente à produção agrícola que o Relatório aponta como prejudicada pelas limitações estabelecidas pelo Código Florestal. Ao contrário, asseguram a produção de alimentos.

A legislação ambiental brasileira reconhece os bens ambientais e suas funções e protege sua integridade como direito de toda a sociedade. Um “bem ambiental” está acima das categorias “bem público” ou de “bem privado”. A necessidade de preservar a integridade dos ambientes naturais para as presentes e futuras gerações justifica os limites estabelecidos por lei para sua exploração. Por isso, o Código Florestal, já em 1965, introduziu os institutos de Reserva Legal (RL) e de Áreas de Preservação Permanente (APPs), inexistentes em muitos outros países, para assegurar que o País possa manter a integridade dos serviços ecológicos essenciais tanto para a obtenção de bens e insumos necessários à sobrevivência humana por meio de atividades agropecuárias, industriais e outras que se realizam de forma sustentável, por um lado, e que permitam a todos zelar pelo patrimônio ambiental do País como um legado para as futuras gerações.

Isso permite concluir que o real propósito do Relatório e das mudanças propostas estão voltados a outros interesses, centrados da absoluta desregulamentação do setor agrícola – leia-se médios e grandes proprietários - que passará a ser beneficiado com anistia para quem não cumpriu a lei, redução em até 50% das áreas consideradas de importância para o interesse público que devem ser permanentemente preservadas, desmatamentos legalizados em áreas até então parte do sistema de proteção instituído pelo Código Florestal, entre tantos outros privilégios individuais.

A proposta apresentada pelo Relatório vai além de ampliar as oportunidades de continuar devastando os ambientes naturais do País. Distorce completamente os propósitos e funções de APPs e RL. Convalida ações de degradação ambiental já ocorridas, e enfraquece instrumentos de prevenção ou de penalização de eventuais futuras ações de destruição indevida do patrimônio ambiental. Desmantela o Sistema Nacional de Meio Ambiente (SISNAMA) e o sistema federativo ao atribuir a Estados e Municípios o poder de estabelecer critérios próprios para o cumprimento da lei.

Resumindo, em tempos de eventos extremos provocados pelas mudanças climáticas globais e que já afetam o Brasil, especialmente comunidades mais vulneráveis nas cidades e no campo, a proposta faz o País regredir, não só na proteção aos ambientes naturais essenciais ao equilíbrio do clima, mas também em aspectos relacionados às conquistas da sociedade na legislação que protege o interesse comum. O Brasil, País soberano, precisa cuidar de seu patrimônio ambiental com sustentabilidade e seriedade, para poder exercer a responsabilidade que lhe cabe, em função das nossas características ambientais, econômicas, sociais e culturais, junto à comunidade internacional. Em 2012, o Brasil sediará a Rio+20, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, que abordará o progresso ou o fracasso dos países no cumprimento dos compromissos da Cúpula da Terra, a Rio-92, quando a Agenda 21 e as convenções internacionais sobre mudança de clima e sobre proteção, uso sustentável e repartição de benefícios da biodiversidade foram assinados. Esperamos que o Relatório apresentado não se configure em ações oportunistas de alguns parlamentares, e que interesses de setores específicos coloquem o Brasil na contra-mão da história global da sustentabilidade.

Aprovar esse Relatório e concordar em votar as propostas que contém é apostar no caos!

É permitir que - em pleno Ano Internacional da Biodiversidade -, o Brasil, considerado o maior dentre os países megadiversos do planeta, descumpra metas assumidas na Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB), colocando em risco a riqueza de seus biomas e contribuindo para aumentar o grau de ameaça de extinção das espécies de sua fauna e flora. É condenar ao insucesso os compromissos internacionais assumidos pelo Governo Brasileiro quanto à redução das emissões de gases de efeito estufa e as metas de diminuição do desmatamento até 2020.

É transformar os produtores de alimentos em dependentes da agroquímica e os consumidores em vítimas, porque pagarão mais por produtos que não serão “sadios e ecologicamente equilibrados”.

É propiciar a desigualdade de tratamento da questão ambiental em cada Estado ou Município, a partir do desmantelamento do Sistema Nacional de Meio Ambiente.

É transformar toda a sociedade em refém dos interesses de um segmento que ainda segue o modelo agrário-exportador.

É penalizar os cofres públicos – e, portanto toda a sociedade, sobretudo aqueles que mais necessitam dos serviços públicos - pelo custo da reparação dos danos causados pela falta de cuidados com os bens ambientais.

As organizações que assinam essa carta possuem como missão defender o interesse público em todas as dimensões e consideram que assunto de tal gravidade deve ser submetido à ampla discussão com toda a sociedade, incluindo os mais de 80% do povo brasileiro que vive nas cidades e sofrerá impactos diretos causados pelas medidas propostas.

Comprometidos com nossa missão, pedimos aos senhores e senhoras congressistas que avaliem muito bem as consequências das propostas apresentadas neste Relatório.

Comprometidos com o interesse comum do povo brasileiro, iremos levar a toda a sociedade as informações sobre esse debate e divulgar a posição de todos os parlamentares sobre a questão.

Colocamo-nos à inteira disposição para comprovar cada uma das afirmações que fazemos nessa carta.


14 de Junho de 2010.
 
Signatários

REDES:

FBOMS – Fórum Brasileiro de ONGs e Movimentos Sociais para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento
GTA – Grupo de Trabalho Amazônico
Rede Brasil sobre Instituições Financeiras Multilaterais
RBJA – Rede Brasileira de Justiça Ambiental
RMA – Rede de ONGs da Mata Atlântica
Rede Pantanal


ORGANIZAÇÕES:

Apremavi – Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida
Aliança RECOs – Redes de Cooperação Comunitárias Sem Fronteiras
AMDA – Associação Mineira de Defesa do Ambiente
APAN – Associação Paraibana dos Amigos da Natureza
Associação Flora Brasil
Associação Pé de Planta
Associação Protetora da Diversidade das Espécies
Centro de Referência do Movimento da Cidadania pelas Águas, Florestas e Montanhas Iguassu
Fuconams – Associação Francisco Anselmo para Conservação da Natureza
Fundação SOS Mata Atlântica
GAMBÁ – Grupo Ambientalista da Bahia
INESC – Instituto de Estudos Socioeconômicos
IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas
Iterei – Refúgio Particular de Animais Nativos
Mater Natura – Instituto de Estudos Ambientais
OPTA – Organização Patrimonial, Turística e Ambiental
Organização Ambientalista Amainan Brasil
Organização Bio-Bras
Projeto BECE – Bolsa Brasileira de Commodities Ambientais
SOS Mata Santa Genebra
SPVS – Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental
Terrae Organização da Sociedade Civil
Vitae Civilis - Instituto para o Desenvolvimento, Meio Ambiente e Paz
WWF Brasil

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Protestos marcam reunião da Macrozona 2

A audiência pública realizada na escola estadual do Village para discutir a revisão do Plano de Gestão da Macrozona 2 (que abrange Vale das Garças, Village, Bosque das Palmeiras e Bananal) foi marcada por protestos de ambientalistas contra a falta de informações detalhadas sobre os projetos, que pretendem ampliar a ocupação urbana e as vias de acesso na região.

Os bairros são predominantemente rurais e terão uma grande faixa de loteamentos residenciais ao lado da Rodovia Ademar Pereira de Barros (Campinas-Mogi Mirim). Por outros lado pretende-se ampliar as Áreas de Proteção Permanente (APPs) nas margens do rio Atibaia, na divisa com Jaguariúna, criando 88 km2 de área natural e preservando a Mata Oncinha, 3º maior fragmento florestal em Campinas.

A reunião coordenada pelos secretários de Planejamento, Alair Roberto Godoy, e do Meio Ambiente, Paulo Sérgio Garcia, contou com a presença de apenas 25 pessoas representantes de bairros e entidades de Barão Geraldo. Foi anunciada a criação da ARIE (Área de Relevante Interesse Ecológico) Várzea Atibaia, a exemplo da proteção da Mata Santa Genebra, que prevê a remoção e transferência das famílias em áreas de risco do Piracambaia, Mariângela, Chácaras Leandro e Vale das Garças e a criação de um eixo de urbanização ao longo da rodovia.

O representante da Associação do Vale das Garças e do Condema,Victor Petrucci, e a vice presidente da Associação dos Moradores da Cidade Universitária (Amoc), Neusa Gonçalves, foram as vozes discordantes da proposta. Com um sonoro “não” Petrucci protestou: "Enquanto cidadão digo NÃO a esse achaque que é feito em nome dos empreendedores e da especulação imobiliária." Neusa reclamou da falta de transparência:”Porquê os planos não estão disponíveis para consulta popular,para que tenhamos base para discutir?”, questionou.

O secretário Alair explicou que os projetos estarão disponíveis ao final das audiências públicas que estão ocorrendo em toda a cidade.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Começam hoje as discussões sobre macrozonas de Barão

O futuro da cidade, o nosso futuro


A cidade de Campinas foi dividida (2006) em 9 macrozonas -MZ* e cada uma delas deve seguir um Plano de Gestão Urbana - PGU.

PGU? Por que devemos nos importar com ele?

O Plano de Gestão é o instrumento que define as regras para a ocupação do território, o zoneamento e, dessa maneira, orienta o crescimento da cidade; o tipo de ocupação dos espaços públicos e privados; onde poderá ocorrer o adensamento populacional e até que ponto este será permitido; se haverá ou não a verticalização; quais as áreas verdes que deverão ser preservadas, entre outros aspectos muito importantes que afetam o cotidiano dos habitantes.

No distrito de Barão Geraldo o planejamento, ocupação e crescimento são definidos pelo Plano Local de Gestão Urbana - PLGU BG - Lei 9.199 de 1996** que foi elaborado com ampla participação da comunidade. Mas infelizmente o que de fato aconteceu no distrito desde então foi o descumprimento do PLGU, agravando progressivamente os problemas que já existiam em 1996 e que até hoje não foram sanados pelo poder público municipal, como o trânsito, as construções irregulares, entre outras mazelas locais. A negligência com o PLGU estimulou o aparecimento de novos problemas como as grandes enchentes, o aumento populacional que gerou sobrecarga em todas as áreas vitais do distrito, além da maior vulnerabilidade das áreas verdes restantes, entre elas a Mata de Santa Genebra.

Neste momento, novamente discutiremos o futuro de Barão Geraldo. É hora de decidirmos o tipo de lugar no qual queremos viver, decidirmos em qual cidade desejamos morar, criar nossos filhos, trabalhar etc. É a hora de conhecermos e deliberarmos sobre os novos empreendimentos anunciados pela atual prefeitura que afetam diretamente o futuro de Barão Geraldo: Parque Ciatec II e Ceasa, entre outros. Quantos novos moradores virão para cá? E para onde irá o lixo uma vez que o Delta está saturado? Como a Mata de Santa Genebra sobreviverá ao adensamento populacional em seu entorno?

O futuro de Barão Geraldo, de Campinas e Região é responsabilidade de todos nós!
Por isso várias entidades estão mobilizadas para que a população participe, opine, comparecendo massivamente às reuniões!
Atenção ao calendário! Programe-se:
  
   Dia 17/06,quinta,às 19h-Escola Estadual Maria Maciel de Castro Kanso,Village Campinas
Dia 23/06, quarta, às 19h – Salão Paroquial (centro do distrito)
Dia 24/06, quinta, às 19h – sede da Próbairro na Cidade Universitária (em frente ao Boldrini)
Dia 28/06, segunda, às 19h – sede da Mata de Santa Genebra – Bosque de Barão

Fonte: SOS Santa Genebra

Começa hoje o mega arraiá no Taquaral


A tradicional festa junina promovida pela Prefeitura, batizada de Nhô Tonico em homenagem ao famoso compositor campineiro Carlos Gomes, começa nesta quinta-feira, dia 17 de junho, na Praça Arautos da Paz. Serão dois finais de semana de festa, com música, quadrilha, forró e barracas de comida e artesanato típicos. A festa tem início às 18h será realizada nos dias 17 a 20 de junho e de 24 a 27 de junho.

Na edição de 2009, a média de público ficou em 20 mil pessoas por dia. O arraial Nhô Tonico terá dois palcos para apresentações musicais e de dança com ritmos típicos de Festa Junina e uma tenda exclusiva para shows de forró.

No palco principal, sempre às 22h, haverá shows de bandas nacionais de forró e sertanejo, entre eles o grupo Falamansa, Mazinho Quevedo e Frank Aguiar. No palco "Quadrilha", serão realizadas apresentações desta dança típica por bailarinos profissionais e por alunos das escolas municipais, a partir das 19h. O terceiro palco é dedicado ao forró com apresentações de 11 bandas locais trazidas pela casa noturna Cooperativa Brasil a partir das 18h.

Além da música, o Arraial Nhô Tonico também oferece ao público 72 barracas de alimentação, artesanato e brincadeiras na Praça de Alimentação, Artesanato e Diversão. Os visitantes poderão degustar os quitutes típicos juninos, como quentão, vinho quente, pipoca e vão se divertir nas brincadeiras de boca de palhaço, correio elegante e bingo.

De acordo com o regulamento da festa junina, foram autorizados pela Secretaria de Cultura para colocar barracas os artesãos cadastrados nas Feiras de Artes, Artesanato e Antiguidades da Secretaria de Cultura, as instituições religiosas, culturais ou sociais sem fins lucrativos e os programas da Secretaria Municipal de Trabalho e Renda.

A novidade para a edição 2010 do Arraiá Nhô Tonico fica por conta da decoração. O decorador Zé Sereco, de Campina Grande, na Paraíba, assina o projeto deste ano. Ele já fez trabalhos para a Rede Globo e atua em uma das maiores e mais famosas festas juninas do país, que é a paraibana.

A infraestrutura da festa vai contar com segurança feita por homens da Guarda Municipal, além de posto de atendimento do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) e bolsões de estacionamento na área da Arautos da Paz comandados pela Emdec. Desde a última segunda-feira, funcionários da Prefeitura já estão na Arautos da Paz para fazer a montagem da estrutura da festa. 

Para o secretário municipal de Cultura, Arthur Achilles Gonçalves, o público pode esperar um grande evento no mesmo molde do ano passado. "Teremos atrações para todos os gostos, desde shows com artistas de grande apelo popular até a tradicional quadrilha. Sem dúvida, o Arraiá é um dos maiores eventos realizados pela Prefeitura e vem conquistando mais público a cada ano, atraindo não apenas os campineiros, como pessoas de cidades vizinhas", disse.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Almanaque Café tem telão na Copa

Até o final da Copa o Almanaque Café terá um telão montado no palco da área interna e uma TV LCD na varanda externa. Nos dias de jogo do Brasil, acontecerá o Bolão Almanaque (quem acertar o placar dos jogos do Brasil ganha um chope Bamberg ou uma caipirinha). Além disso, o bar também lançou o Cartão Fidelidade: os clientes que forem fiéis e assistirem a todos os jogos do Brasil na casa ganharão um almoço para duas pessoas.

No jogo do próximo domingo (20), haverá uma feijoada especial (R$ 50 por pessoa, com almoço e couvert artístico), seguida de música depois do término da disputa. No dia 24, a casa abre às 10h30 e o almoço é normal, a partir das 11h30. O telão do Almanaque funciona em todos os jogos, independente da seleção,  às 11h e às 15:30. Avenida Albino José de Oliveira, 1.240 - Barão Geraldo.
Telefone: (19) 3249-0014

domingo, 13 de junho de 2010

Mata Santa Genebra inaugura projeto de educação ambiental


A primeira apresentação do Projeto Construir e Criar, de educação ambiental para crianças por meio do teatro, aconteceu, dia 14 de junho, às 9h30, na praça ao lado da Mata Santa Genebra. Participaram convidados e estudantes das escolas Roque Magalhães e Jardim Santa Clara do Lago.

A proposta do projeto é levar apresentações gratuitas da peça Coração Verde, do Grupo Grumaluq, em escolas públicas para alunos de 1ª a 4ª séries
e em algumas sessões abertas ao público em várias cidades da região metropolitana. Já estão previstas apresentações em Sumaré, Hortolândia, Jaguariúna e Cosmópolis,  dentro do Projeto. O projeto Construir e Criar é uma parceria entre a Fundação José Pedro de Oliveira, que administra a Mata de Santa Genebra, em Campinas, com a Associação Cultural Mamulengo Luz e Cor, patrocinado pela Petrobrás.

A peça, com duração de 30 minutos, é um teatro de bonecos de luva e vara onde personagens como o macaco bugio - espécie em extinção que é encontrada na Mata de Santa Genebra - pássaros, borboletas, índios e outros interagem com rios, sol, mata e lua mostrando a degradação ambiental do planeta e refletindo sobre formas de proteger e preservar a natureza. As autoras Márcia Marchette e Teca Rios são também as atrizes manipuladoras dos bonecos da peça.

A Mata Santa Genebra fica na rua Mata Atlântica, 446, no bairro Bosque do Barão, no distrito de Barão Geraldo, em Campinas.

Apresentações e oficinas

O Projeto Construir e Criar terá 26 apresentações gratuitas que serão realizadas até o final do ano em escolas públicas de Campinas e em outros locais na cidade e na região abertos à população.

Também haverá duas oficinas para professores da rede pública para produzir os bonecos de papel machê e com sucata e outra que vai abordar biodiversidade como forma de estimular esta atividade lúdica na educação ambiental.

Quem quiser outras informações ou estiver interessado em receber a peça em sua escola pode ligar para os telefones: 3249-0720 ou 3249-0721, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.



Existem vários outros candidatos à presidência


Enquanto a imprensa só fala de Dilma, Serra e Marina, existem outros pré-candidatos que ninguém cita porque estão com pouca intenção de votos nas pesquisas. É a ditadura dos poderosos que querem e compram a locupletação no poder, ou seja, continuar enriquecendo às custas da ignorância do povo. Saiba quem são os outros candidatos:

Américo de Souza (PSL)
Bacharel em direito, ciências econômicas, administração, ciências contábeis e pós-graduado em engenharia administrativo-econômica. É ex-deputado federal e ex-senador pelo Maranhão.Em 2006, foi candidato a vice-presidente.
http://www.pslnacional.org.br/ e Twitter: @AmericoPSL

Dilma Rousseff (PT)

É natural de Belo Horizonte. Formada em Economia, foi secretária estadual de Minas, Energia e Comunicação no Rio Grande do Sul. No governo Lula, foi ministra de Minas e Energia e depois ministra-chefe da Casa Civil.
http://www.dilmanaweb.com.br/ e Twitter: @dilmabr

Ivan Pinheiro (PCB)

Advogado, é secretário geral do PCB. Foi presidente do Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro. Já se candidatou a deputado federal e a vereador. Também já disputou a Prefeitura do Rio de Janeiro.
http://www.pcb.org.br/

José Maria Eymael (PSDC)

Nasceu em Porto Alegre, é formado em direito, com especialização na área tributária, e em filosofia pela PUC-RS. Há mais de 30 anos atua como empresário nas áreas marketing e comunicação. Ex-deputado federal, já disputou a Presidência duas vezes.
http://www.psdcbrasil.org.br/ e Twitter: @eymael

José Serra (PSDB)
Ex-governador de São Paulo, já foi deputado federal, senador e ministro da Saúde e do Planejamento. Tem formação superior em Economia, concluída no Chile, e em Engenharia, pela Universidade de São Paulo.
http://www.serraescreve.blogspot.com e Twitter: @joseserra_

Levy Fidélix (PRTB)
Atuou como apresentador de TV, diretor de criação em agências de publicidade e professor. Foi um dos fundadores do PL e  esteve no PTR. Já disputou eleições para presidente da República, prefeito de SP, governador, vereador e deputado federal.
Site http://www.prtb.org.br/ e Twitter: @levyfidelix

Marina Silva (PV)
Nasceu no Acre, onde formou-se em história. Foi vereadora em Rio Branco, deputada estadual e senadora. Atuou no governo Lula como ministra do Meio Ambiente, de 2003 a maio de 2008. Participou da fundação do PT, do qual se desfiliou em 2009.
Site: http://www.minhamarina.org.br/ e Twitter: @silva_marina

Mário de Oliveira (PTdoB)
Nasceu em Aquidauana, em Mato Grosso do Sul. É graduado em engenharia mecânica pela Unesp, bacharel em Direito pela PUC-SP e pós-graduado em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas-SP.
http://www.mariooliveira.com.br/ e Twitter: @mariooliveira70

Oscar Silva (PHS)
Maranhense, vive atualmente em Brasília. É advogado e secretário geral nacional do PHS. Entrou para a política no PMDB. Está filiado há cinco anos ao PHS. Já disputou duas eleições para deputado.
Site: http://www.oscarsilva2010.com.br/

Plínio Sampaio (Psol)
Promotor público aposentado, é mestre em desenvolvimento econômico internacional pela Universidade de Cornell (EUA). Tem atuação junto à Igreja Católica. É presidente da Associação Brasileira de Reforma Agrária.
http://pliniopresidente.com/ e Twitter: @pliniodearruda

Rui Pimenta (PCO)
Formado em jornalismo, participou da fundação do PT, com atuação em SP e no ABC. Na década de 80, atuou no sindicalismo. Após ajudar a fundar o PCO em 1996, foi candidato a vereador, a deputado federal e a prefeito de São Paulo.
http://www.pco.org.br/ruicostapimenta/

Zé Maria (PSTU)
Metalúgico, participou dos movimentos sindicais no ABC na década de 1970. Foi um dos fundadores do PT, do qual saiu nos anos 90. É um dos fundadores e atual presidente nacional do PSTU. Integra a Coordenação Nacional de Lutas (Conlutas).
Site: http://www.pstu.org.br/ e Twitter: @zemaria_pstu

Moto Rosa divulga Parada Gay em grande estilo

Conhecido como Moto Rosa ou Penélope Charmosa, figura proeminente de Barão Geraldo, ex-candidato a vereador, o motociclista Dino Perez Martinez está inovando e anunciando a Parada Gay de Campinas em out doors pela cidade em seu novo veículo, um triciclo também cor de rosa, claro, e coletando  alimentos, "por sinal uma iniciativa impar em termos de parada gay", afirma.

Ele estará abrindo a parada gay (LGBT ou LGBTTTS - Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais, Transgêneros e Simpatizantes) de Campinas com seu (sua) colega Apri Drag no próximo dia 26 de junho, às 12h00,  no Largo do Pará.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Programação da Casa Chopp Bar para esta semana...

Quinta, show com Mike (diversos ritmos)
Sexta, show com Fator 51 (ótima banda de pop rock)
Sabádo: Festa dos solteiros com a banda Lady Q de São Paulo..
 
OBS: Copa do mundo é aqui na Casa Chopp Bar. Faça parte da melhor torcida de Barão!!!
 

Programação Cultural da Praça do Coco


FEIRA DE CULTURA E ARTE
Apresenta
Dia 12 de junho às 12:00h
Here Jazz and Everywere
Local: Praça do Coco - Barão Geraldo
Apresentação gratuita


Próximas Apresentações
19/06 – MPB “Doc Miranda” as 11:00h
- Colégio Objetivo estará na Feira de Cultura e Arte PINTE...MONTE...BRINQUE...CONHEÇA...,                   
10h às 10h30min – oficina da Educação Infantil (crianças de 03 a 06 anos);
11h40min às 12h10min
10h50min às 11h20min – oficina do Fundamental I (crianças de 07 a 10 anos)
12h30min às 13h
26/06 – Festa Junina
Roda de Capoeira do Capoeira IBECA – profº Tartaruga as 11:00h
Com chuva não há apresentação
Apoio: Sub-Prefeitura de Barão Geraldo
5° Cine Coco
Dia 15 de junho (terça-feira, as 19h)
Dia de estreia do Brasil na Copa
Dia de cinema na Praça do Coco.
Filme: "O Contador de História"
Uma história real de superação.
A Pipoca e o Quentão é por nossa conta.
Evento Gratuito
Vagner dos Santos
www.pracadococo.com.br

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Reuniões discutem planejamento urbano em Barão Geraldo


A Associação dos Moradores da Cidade Universitária (Amoc) antecipa nesta quarta-feira, das 19h00 às 22h00, com apresentação do Plano Diretor de BG em vigor desde 1996, as reuniões programadas pela Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Urbano (Seplan) da Prefeitura de Campinas, em continuidade às discussões dos Planos Locais de Gestão referentes às Macrozonas 2,3,4 e 6.
Barão Geraldo fica na Macrozona 3 e o Village e Vale das Garças na Macrozona 2.

O Plano Local de Gestão é o detalhamento dos objetivos, diretrizes e normas definidos no Plano Diretor e no Estatuto da Cidade para cada macrozona. O PLG tem entre suas finalidades adequar os parâmetros de parcelamento, uso e ocupação do solo às condições ambientais, urbanísticas e socioeconômicas; detalhar as políticas setoriais; definir as diretrizes viárias, de preservação e recuperação ambiental.

Cronograma

Data: 09 de junho de 2010
Horário 19:00 às 22:00hs
Local  Sede da Amoc
Rua Francisco Zuppi. 150

Pauta:
1. Apresentação do Plano diretor de Barão Geraldo elaborado em  1996 - Eleusina Freitas; 2. Definir a metodologia de trabalho para a discussão da revisão do plano diretor; 3. Data da próxima reunião.

Macrozona 2

Data: 14 de junho
Horário: 19h
Local: Administração Regional 14 – (AR14)
Endereço: Rua 01 nº 86 - Carlos Gomes
Bairros: Carlos Gomes, Recanto dos Dourados e Bananal

Data: 17 de junho
Horário: 19h
Local: Escola Estadual Professora Dora Maria Maciel de Castro Kanso
Endereço: Rua Professor Doutor Emilio Coelho, s/nº - Village Campinas
Bairros: Village Campinas, Vale das Garças e Bosque das Palmeiras

Macrozona 3

Data: 23 de junho
Horário: 19h
Local: Salão Paroquial Santa Izabel
Endereço: Rua Ângelo Vicentin, 601 - Barão Geraldo
Bairros: Centro e Vila Izabel

Data: 24 de junho
Horário: 19h
Local: Associação PROBAIRRO
Endereço: Rua Márcia Mendes, 702 - Cidade Universitária parte II /Barão Geraldo
Bairros: Cidade Universitária, Guará


Data: 28 de junho
Horário: 19h
Local: Fundação José Pedro de Oliveira (Mata de Santa Genebra)
Endereço: Rua Mata Atlântica, 447 - Bosque de Barão Geraldo
Bairros: Real Parque 

terça-feira, 8 de junho de 2010

Disputa pelo Rio das Pedras favorece a Natureza


De um lado os ambientalistas protestam contra o desrespeito ao Meio Ambiente e agressões aos mananciais e áreas verdes de Barão Geraldo em um movimento que ganha corpo e conquista a simpatia da comunidade.

Do outro os transgressores ambientais invasores das Áreas de Proteção Permanente (APPs) promovem ações de marketing com publicidade e distribuição de mudas de espécies da Mata Atlântica para reduzir a imagem negativa. E no meio do caminho tem o Rio das Pedras (já rebaixado a ribeirão) que agradece a atenção e aguarda ações mais efetivas para recuperar a vida.

No dia 05 de junho, sábado, Dia Mundial do Meio Ambiente, uma intervenção na pinguela  da rua Francisco Humberto Zuppi, na cidade Universitária, deu início a uma série de eventos dedicados a conscientizar a população sobre a necessidade de proteção das áreas verdes e cursos de água. Pinturas e faixas colocados em torno da pinguela antecederam o lançamento dos manifestos “No Meio do Caminho tem o Ribeirão das Pedras”, e “No Meio do Caminho tem a Mata Santa Genebra”, com a participação de representantes de várias entidades de bairro e do Condema. Paralelamente, durante evento cultural realizado na Praça do Coco, foi montada uma barraca com imagens da degradação ambiental no distrito e de áreas ainda preservadas.

Um alerta dos ambientalistas sobre o início da discussão do novo plano de Gestão da Macrozona 3 serviu para marcar uma reunião que a Associação dos Moradores da Cidade Universitária (Amoc) sedia nesta quarta-feira, dia 09 de junho, a partir das 19h00, com apresentação do Plano diretor de Campinas e as possíveis mudanças pretendidas.


No domingo, dias 06, uma caravana de ciclistas do grupo Ecobikers de Barão Geraldo percorreu os pontos de maior evidência de degradação do rio, desde o  muro do colégio Rio Branco, onde o Rio das Pedras já chega sem vida, até a construção do novo Tilli Center, passando por dezenas de construções construídas sobre as margens do manancial. Na reconstrução do muro do Rio Branco, derrubado pelas chuvas (sim, a natureza se vinga) uma faixa anunciava a obra “amparada” pela Secretaria do Meio Ambiente da Prefeitura.

O Rio Branco e o Tilli Center são somente as invasões mais visíveis na área de proteção ambiental. Muitas outras agressões são camufladas ou clandestinas. O Colégio Rio Branco assumiu o Trecho 3a do Parque Linear do Ribeirão das Pedras, o Tilli Center informa que cuida há 11 anos do trecho 3b e agora se propõe a assumir o trecho 3c, em direção à Cidade Universitária, quase paralelo à estrada da Rhodia.




Uma notícia falsa do Correio Popular anunciou que a prefeitura embargou as obras do Tilli Center. Quem embargou foi o Ministério Público e foi somente a obra do muro do estacionamento. O secretário do Meio Ambiente assumiu o mérito do embargo e não desmentiu a reportagem. A exemplo do espaço ocupado pelo Rio Branco ao lado da ponte, onde os ciclistas e ambientalistas registraram frases de repúdio e assinaram um documento pela proteção do ribeirão, ao lado da ponte do Tilli Center também foram colocadas faixas e foi promovido um solene minuto de silêncio em pesar pelas condições do rio.


No Auto Posto Campineira foram distribuídas duas mil mudas de árvores custeadas pelo empresário e engenheiro civil Cristiano Cantusio, proprietário do Auto Posto Campineira e do Tilli Center.

A Natureza agradece.